sexta-feira, 18 de março de 2011

"boletim do tempo"

Mais um ano. Nova sequência de cruzamentos astrais entre as órbitas de marte e júpter e blá  blá blá. De fato, é só  mais um aniversário.
Me sinto bem em compactuar com Darwin e sua teoria, mesmo que em alguns aspectos eu sinta que nunca vou evoluir, continuarei a mesma caretona. Um dia me apaixonei pela literatura lendo um livro do Luiz Fernando Veríssimo, eu tinha treze anos, mas lembro como se fosse hoje. Sempre achei que teria uma banda de rock em algum lugar do futuro. É, eu sempre fui assim meio retardada mesmo. Quando entrei na universidade achava que aos vinte teria mudado o mundo, ou percebido que ele não tem mais jeito. Então, pegaria uma mochila, encheria de tralha e sairia por ai, andarilhando. Mas ainda não desisti, embora volta e meia sinta vontade. Não sei de onde tiro toda essa fé que deposito nas pessoas, mas definitivamente ainda acredito nelas e em um mundo melhor.
Talvez meus pais esperassem que eu escolhesse uma carreira mais promissora, mas não é esta a parte que me cabe desse latifúndio. Eu tento conviver bem em sociedade, mesmo achando às vezes que estou  inserida numa competamente incompatível. Ainda assim, continuo fazendo minhas escolhas. Algumas vezes escolhi errado, nunca entendi direito como pude magoar algumas pessoas, ou me perder de outras, mas acabei aprendendo com essa coisa da ilogicidade que a vida tem. Sempre quero fazer tudo, minha mãe vive dizendo que não dá para abraçar o mundo com as pernas, mas acho que isso nunca vai mudar. Não me sinto maluca por isso, pelo menos não só por isso. Tanto que hoje, quando me vejo correndo contra o tempo, no último ano de graduação, monografia por fazer, trabalho, duas universiades, inglês, projeto de extensão, penso que estou exatamente como previ há um tempo atrás. Talvez eu esperasse um pouco mais de tempo livre para coisas simples, como ler Bukowski na rede, ouvir um disco do Dylan, passear com o cachorro e ver o pôr-do-sol, mas essa coisa de tempo é bem relativa. Agora mesmo imagino que em breve as coisas terão melhorado dentro de suas possibilidades e minhas perspectivas. Espero fazer parte dessa mudança. Espero não me corromper perante meus sonhos, seja pelo que for, seja por amor às causas perdidas, como canta o humberto. Acho que chega né? Ano que vem falo mais, por ora é isso.

10 comentários:

Eduard disse...

amoor,
feliz aniversario, que voce conquiste todos os seus sonhos, o maior deles, ser util, vc já consegiu e nem sabe hehhee.

Beijo bells,

Ed.

ALice disse...

Flor,

tudo de melhor nesse dia especial, saiba que são pessoas como vc que fazem o mundo ainda ter jeito. =)

D. Pimentel disse...

Eu nem tenho o que comentar, a não ser Feliz Aniversário. Afinal esse texto foi tão completo... talvez por ter parecido que estava lendo sobre mim. Gostaria de te pedir um presente mesmo o aniversário sendo seu... posso publicar seu texto em meu blog? Com todos os créditos, claro. Espero sua resposta....
vc tem que escrever maaais. Sinto falta de passar por aqui...
beijão

Stive Ferreira disse...

Oi moça!
Obrigado pelo carinho, adorei seu comentário.
E é sempre bom passar por aqui também, seus textos são muito bons...

Ah! E parabéns para você :-)
Felicidades!

Lice disse...

Chega nãão, escreve mais. =)
Texo delicioso de ler.

Felicidades linda Josy.
Beijão

Andarilho disse...

Feliz aniversário! Eu trocando emails completamente alheio ao fato. Perdão.

Talvez você não perceba ao escrever, talvez sim, mas a intenção por trás de sua postagem apresentou-se bastante diferente do usual. Mais otimista, creio eu. Continue assim, sendo louca e acreditando nas pessoas. Vamos provar que elas que eram loucas de não acreditarem em si mesmas. =)

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Dizem que a vida tem que continuar, por isso estou aqui pra agradecer as palavras de conforto que recebi no blog e dizer que achei lindo a manifestação e o carinho de cada um de vocês. Obrigado!

JC

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Parabéns, Josy!

Que vc tenha ainda muitos anos pra fazer deste mundo um lugar melhor. :)

Beijo enooooorme!

Bill Falcão disse...

Existem poucas coisas que fazem sentido na vida. Entre elas, ler Bukowski na rede, ouvir Dylan, passear com o cachorro e ver o pôr-do-sol.
O resto, quase todo, me parece sem sentido algum.
Bjoo!!

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Josyyyyy!


Passei pra te deixar um super beijo e desejar uma feliz páscoa a você e toda a sua família! :)

Aproveito pra te convidar a participar de uma idéia super legal que eu tive.
Segue o link:

http://migre.me/4iKXn

Beijo grande!